Douglas Motta: experiência a serviço das Seleções de Basquete 3x3

20.12.2017   |   3x3
Compartilhe Facebook Twitter

Técnico das seleções brasileiras de 3x3, Douglas Lorite Motta

A decisão não foi fácil. Deixar de atuar e seguir a rotina de jogador era uma medida simples e indolor. Mas como vencer obstáculos sempre fez parte da trajetória de Douglas Lorite Motta, ele resolveu passar para o outro lado do balcão e é hoje o técnico das seleções brasileiras de Basquete 3x3. O ex-jogador traz na bagagem a participação em cinco edições do World Tour e dois Mundiais da modalidade. Não é pouca coisa para quem pretende usar a própria experiência para comandar as equipes que farão parte do ciclo olímpico, na tentativa de estar em Tóquio 2020, na estreia do Basquete 3x3 nos Jogos Olímpicos.

“Essa minha transição de atleta para treinador foi bem difícil, pois a gente sempre acha que dá para jogar mais um pouco. Mas foi em boa hora e um salto que, com certeza, será o melhor, não só para mim, mas para os atletas que poderão compartilhar o que vivi dentro do Basquete 3x3. Me sinto preparado para dar esse passo e fazer parte desse novo momento da modalidade”, contou o treinador.

E todo o conhecimento e especialização possíveis serão aproveitados por Douglas. Tanto que o técnico vai participar do primeiro curso destinado a treinadores de Basquete 3x3 no Brasil, organizado pelo IOB/COB em parceria com a Academia Brasileira de Treinadores (ABT). As aulas serão ministradas de março a dezembro de 2018.

“É um passo bem importante para aprimorar ainda mais o esporte no Brasil e tornar nossa modalidade cada vez mais forte, como o basquete tradicional. Será o nosso primeiro curso de formação de treinadores. Temos um grupo bem seleto e com um cronograma riquíssimo que só tem a enriquecer quem quer se aprofundar no conhecimento”, destacou Douglas.

No último fim de semana foi lançado oficialmente o Circuito Brasileiro de Basquete 3x3 e o Calendário da modalidade para 2018. Do cronograma faz parte a criação do plano estratégico de treinamentos e jogos para as seleções Sub-18 e Adulta.

“Sei que a CBB nos dará todas as condições para que seja desenvolvido um método de trabalho que se torne referência dentro do esporte. Quero abranger todos os níveis nos treinamentos, as áreas técnicas e táticas para fazer essa estrutura funcionar. O plano é começar pelas equipes adultas, por conta da disputa da Copa do Mundo. Na base, temos que implementar a estruturação de jogo e acredito que colheremos frutos lá na frente”, finalizou o treinador.

FIBA Conheça também:
Os Wodens!
Topo