Classificatórias - Copa do Mundo FIBA 2019

Compartilhe Facebook Twitter
Classificatórias - Copa do Mundo FIBA 2019
Período 24 novembro a
27 novembro

A Seleção Brasileira Masculina encara as Classificatórias para a Copa do Mundo FIBA 2019, que será realizada na China. Trata-se de uma nova experiência criada pela Federação Internacional de Basquete. A equipe do técnico croata Aleksandar Petrovic não terá mais pela frente os antigos torneios com datas fechadas e de tiro curto. A classificação para a Copa do Mundo, que agora é obrigatória para briga por vaga na Olimpíada, terá formato diferenciado. Ao todo, 16 equipes das Américas vão lutar por sete vagas e você entende melhor todo o novo contexto abaixo, com detalhes sobre o grupo do Brasil, a tabela da seleção, os critérios para a classificação para os Jogos Olímpicos e o motivo pelo qual os astros da NBA e da Euroliga dificilmente jogarão as Classificatórias.

 

O que pretende o Brasil?

Novo técnico da seleção, o croata Aleksandar Petrovic promete melhorar muito a defesa do Brasil e espera que a seleção consiga, sem grandes dificuldades, uma das sete vagas para a Copa do Mundo da China, em 2019. Classificado para o primeiro objetivo, o treinador sonha com a vaga direta para a Olimpíada de Tóquio ou, na pior das hipóteses, com um lugar em um dos quatro pré-olímpicos que virão a seguir.

 

O que você precisa saber desde já

O formato estabelecido pela Federação Internacional de Basquete gerou desconforto junto à NBA e, principalmente, à Euroliga, ou seja, os principais clubes da modalidade na Europa e nos Estados Unidos. Com as Eliminatórias acontecendo em janelas, as equipes perderiam seus jogadores em diversas datas, bem no meio da temporada. Ao contrário do futebol, a FIBA não conseguiu estabelecer intervalos no calendário, como as datas Fifa. Assim, a Euroliga definiu que não liberaria atletas para as classificatórias continentais. Por isso, atletas de Real Madrid, Barcelona e outros times ficarão de fora de praticamente todo o torneio. Na NBA não será diferente. A liga americana de basquete normalmente já vê suas franquias não abrirem mão dos principais atletas. Até por isso, os Estados Unidos jogam as Classificatórias com uma equipe composta em sua base por atletas da G-League. Ou seja, não espere Curry, LeBron, Kyrie Irving. E nem Raulzinho, Cristiano Felício, Lucas Bebê e Nenê no Brasil.

 

Como ficaram os grupos na 1ª fase

Grupo A

Uruguai, Argentina, Paraguai e Panamá

Grupo B

Brasil, Venezuela, Chile e Colômbia

Grupo C

EUA, Porto Rico, México e Cuba

Grupo D

Canadá, República Dominicana, Ilhas Virgens e Bahamas

 

As janelas das Classificatórias

* Novembro 2017

* Fevereiro 2018

* Junho 2018

* Setembro 2018

* Novembro 2018

* Fevereiro 2019

Nestas duas datas em negrito, sem jogos da NBA e da Euroliga, as seleções terão a possibilidade de contar com atletas que atuam nos Estados Unidos e na Europa.

 

A tabela brasileira no início das Classificatórias:

24 de novembro de 2017

22h - Chile x Brasil - Osorno (Chile)

27 de novembro de 2017

20h30 - Brasil x Venezuela (Arena Carioca 1)

22 de fevereiro de 2018

Brasil x Colômbia (Local e horário a definir)

25 de fevereiro de 2018

Brasil x Chile (Local e horário a definir)

29 de junho de 2018

Venezuela x Brasil (Local e horário a definir)

2 de julho de 2018

Colômbia x Brasil (Local e horário a definir)

 

A fórmula de disputa

Pela primeira vez, a FIBA adotou um cronograma muito parecido com as datas Fifa no futebol. As classificatórias são jogadas nas janelas já citadas acima, com convocações para cada período de jogos. No total, 32 seleções disputarão a Copa do Mundo da China e apenas o país anfitrião tem vaga garantida. Assim, são 31 vagas em jogo em disputas continentais: 12 na Europa, 5 na África, 7 na Ásia + Oceania e 7 nas Américas.

Na primeira fase da disputa das Américas, as seleções foram divididas em quatro grupos de quatro equipes cada. Elas se enfrentam em turno e returno, com seis partidas para cada. Os três melhores avançam para a segunda fase, quando dois novos grupos (E e F) com seis equipes são formados. No Grupo B, o Brasil pegaria rivais da chave com Canadá, Bahamas, República Dominicana e Ilhas Virgens. É importante destacar que as equipes carregam os resultados do estágio inicial e não enfrentam novamente os rivais anteriores. Os três melhores dos Grupos E e F vão à China, assim como o quarto melhor, totalizando as sete vagas.

 

Único caminho para Tóquio 2020

Com a mudança no formato da FIBA, as Eliminatórias ganharam peso ainda maior. Além de classificar para a Copa do Mundo da China, em 2019, a competição é o único caminho para a Olimpíada de Tóquio 2020. É que os primeiros classificados para os Jogos Olímpicos sairão diretamente deste torneio e os participantes dos quatro torneios pré-olímpicos para o restante das vagas também. Entenda melhor abaixo.

* 12 seleções jogarão Tóquio 2020

* Como país-sede, o Japão é o único garantido

* Sobram então 11 vagas, sendo sete via Copa do Mundo da China

* Uma para o melhor africano

* Uma para o melhor asiático

* Uma para o melhor da Oceania

* Duas para os melhores europeus

* Duas para os melhores das Américas
 

As outras quatro vagas olímpicas serão disputadas em pré-olímpicos. Serão quatro torneios ao todo, com seis equipes em cada um, totalizando 24 equipes. E quem joga? As 16 melhores do Mundial da China, não importando continente e, claro, que não estejam entre as sete já classificadas pelo critério explicado anteriormente. E mais oito equipes que serão puxadas por seu desempenho anterior nas Classificatórias, sendo: 2 da Europa, 2 das Américas, 2 da África e 2 de Ásia + Oceania.
 

Ainda resta dúvida? Veja o vídeo da FIBA:

 

FIBA Conheça também:
Os Wodens!
Topo