Imprensa

20/05/2016 - Emanuely Oliveira

img
Força total. É com esse espírito que a jovem Emanuely Oliveira, a Manu, vai em busca de uma medalha para o Brasil no Campeonato Mundial Sub-17. Para chegar até aqui a ala, que largou os campos de futebol para atuar nas quadras de basquete, passou por experiências que mudaram a sua vida. Aos 11 anos, Manu foi convidada para participar das escolinhas de base do Criciúma/Satc/AD Criciúma, onde permanece até hoje. A bela atuação da jovem de 1,80m garantiu a convocação para a seleção de Santa Catarina no Campeonato Brasileiro de Seleções e a medalha de prata em 2014 e 2015. Desde então o atleta não demorou para alcançar voos mais altos na sua carreira. Com apenas 14 anos, a ala embarcou pela primeira vez com a Seleção Brasileira no Campeonato Sul-Americano Sub-15, na Venezuela. Estreando com a camisa da equipe nacional, Emanuely ajudou na conquista da medalha de ouro. No ano seguinte, seu nome estava novamente estampado na convocação para a Copa América Sub-16. Nesta edição a medalha foi de prata, pois o Brasil foi superado na final pelo Canadá por apenas um ponto. Mas a atleta fez parte da equipe que entrou para a história ao vencer na semifinal os Estados Unidos. Jogadora de confiança da técnica Anne Sabatini, Manu se prepara para mais um desafio em sua carreira: defender o país no Campeonato Mundial Sub-17, de 22 de junho a 2 de julho, em Zaragoza, na Espanha.

A responsabilidade de defender o seu país é imensa. Como está se sentindo?

Estou muito feliz por mais uma vez defender o Brasil. É uma responsabilidade muito grande, mas sei que farei o possível para ajudar a equipe. Estou em uma ansiedade maravilhosa, com muita expectativa e o pensamento positivo.
img

Além dos destaques ao longo da temporada de 2014, você foi a melhor ala do Campeonato Brasileiro Sub-15, em Poços de Caldas. Mesmo sendo uma atleta ainda muito jovem, como você lida com esse seu desempenho?

Desde que comecei a jogar me dedico ao máximo em tudo que faço e sempre mantenho o foco onde quero chegar. É o meu objetivo como atleta chegar aos lugares que sonhei e traçar sempre uma trajetória em que possa seguir, com muita confiança e habilidade.

Ano passado vocês entraram para a história do basquete da categoria ao vencer os Estados Unidos na semifinal da Copa América Sub-16. Como foi esse momento?

Ganhar do Estados Unidos foi bem emocionante, pois fazia tempo que elas não perdiam. Percebemos que temos um grupo muito bom, a união da equipe ajudou imensamente e fez bastante diferença. Ganhar de uma potência mundial como EUA fez com que o grupo ficasse mais forte e mais confiante para o mundial.
img

Como vê a campanha do time que ganhou dos Estados Unidos. O que vocês tinham de melhor?

Nosso time tem muitas qualidades. Todas as meninas que estão no grupo são muito boas, mas nossa maior qualidade é a velocidade e a defesa. E dessa vez não teve jeito, fomos melhores que as melhores do mundo.

Tem algum jogo que te marcou?

Sem dúvida esse campeonato me deixou na memória muitos momentos maravilhosos. No final do jogo contra os Estados Unidos eu parei e não acreditava que aquilo tinha acontecido. Com certeza, por enquanto, vai ser o momento mais emocionante pra mim.

E o melhor momento desse jogo para você?

Sabemos que o esporte é feito de vitórias e derrotas, mas vencer é sempre o melhor momento.
img

A Anne é uma ótima técnica, o que tem aprendido com ela?

Aprendi a ter mais confiança, a focar mais na parte física e cuidar melhor da alimentação. Essas pequenas coisas bem executadas fazem a gente fazer grandes coisas em quadra. É tudo um jogo de disciplina.

Sabemos que o grupo de vocês é bem unido e possui essa tradição ao longo das categorias. Como é a sua relação com as meninas?

Ali é difícil você saber quem é mais amiga de quem. Somos muito parceiras e ao invés de nos dividirmos, aconteceu da gente formar uma grande e única equipe. Acho que muito dos nossos resultados vem dessa essência que criamos em quadra.

O que você diria para as meninas que tem o sonho de ser jogadoras e estão começando a treinar em equipes de base?

Para qualquer coisa na vida, temos que lutar pelos nossos objetivos. Afirmo que é sempre cansativo, mas gratificante. Por isso tenham muito foco em seus desejos. Determinação para treinar é fundamental e procurem dar sempre o máximo de si. Melhorar sempre é algo que não pode nunca sair dos nossos planos, isso ajuda a vencer e chegar aonde queremos.
img

O que podemos esperar da Manu no Mundial?

Uma atleta focada e determinada, que vai dar seu máximo e que está bem preparada para esse momento. Percebo que estou mais madura, sou uma atleta mais dedicada e percebo que minha percepção do jogo melhorou bastante. Estou indo com tudo, com força e uma vontade imensa de ganhar.