Imprensa

29/09/2014 - José Alves Neto

img
Em pouco mais de dois anos como técnico do Flamengo (RJ), José Alves Neto, de 43 anos, não para de colecionar títulos. Na temporada 2013/14, foi Campeão Carioca, do NBB e da Liga das Américas. E no último domingo (dia 28) levantou a taça da Copa Intercontinental de Clubes, em que o Flamengo venceu o Maccabi Tel Aviv de Israel. O paulista, que também é auxiliar técnico do Rubén Magnano na Seleção Brasileira Masculina, não esconde o desejo de continuar a fazer história do clube carioca e da seleção. Em outubro, o Flamengo será o primeiro time da América Latina a ter o privilégio de participar da pré-temporada da NBA, maior Liga de Basquete do mundo.

O que significa ser Campeão do Mundo?

É uma recompensa do esforço e do trabalho realizados pelos jogadores e por toda a comissão técnica. Essa dedicação é que nos fizeram chegar ao título. É também uma forma de retribuir as pessoas que acreditaram no nosso trabalho, além de ser gratificante por ser mais um marco na história do Flamengo.

Como foi o trabalho da Comissão Técnica para chegar a essa conquista?

Estudamos muito os adversários para chegarmos preparados para os confrontos. Vimos às situações que poderiam ocorrer para tentar acertar as coisas antes das partidas. Entraram algumas peças novas na equipe (Walter Herman e Derrick Caracter), mas mantivemos o mesmo padrão.

A união do grupo foi fundamental para o título?

Esse grupo é muito experiente. Mesmo com a chegada do Herman e o Derrick, o grupo se comportou bem. Já conhecíamos o trabalho deles. Nossa equipe é competitiva e comprometida com a proposta de trabalho. Para estes jogadores tão rodados e com grandes conquistas, isso se torna mais fácil.

Qual a importância do técnico Rubén Magnano na sua evolução profissional?

É um técnico que estou muito próximo, além de muito vitorioso. É campeão olímpico e vice-campeão mundial com a seleção argentina. É uma pessoa que inspira a gente a crescer profissionalmente. Na verdade, ele não é só referência para mim, mas para outros técnicos também.

Você já faz planos para o futuro?

Estamos focados nos próximos desafios que teremos contra as equipes da NBA. No dia 8 de outubro, enfrentaremos o Phoenix Suns, no Arizona; no dia 15, nosso adversário será o Orlando Magic, na Flórida; e por fim, o time enfrenta o Memphis Grizzlies, no dia 17, no Tennessee. Depois voltaremos a atenção para o Campeonato Carioca, NBB e na sequência a Liga das Américas.

Você soma alguns títulos no comando do Flamengo. O que espera ganhar daqui para a frente?

Sempre é bom pensar adiante e nunca relaxar após as conquistas. Já penso na próxima competição, não fico vivendo do passado.

Gostaria de mandar algum recado para os fãs do seu trabalho e para a torcida brasileira?

Quero agradecer a todos que acompanham o basquete, não só a torcida do Flamengo, mas todos os brasileiros que vibraram com a gente. Essa conquista motiva ainda mais o investimento na modalidade. É o Brasil fazendo história.