Imprensa

12/06/2012 - Anderson Varejão

img
Recuperado da lesão no punho direito, o pivô Anderson Varejão está animado com sua primeira participação em Olimpíadas. Em São Paulo (SP), onde realiza o início da preparação para os Jogos Olímpicos sob o comando do técnico Rubén Magnano, ele destacou a motivação em disputar o evento e afirmou que a seleção quer “orgulhar o povo brasileiro”. Jogador do Cleveland Cavaliers, da NBA, Varejão acredita também que a experiência internacional do grupo pode colaborar com o bom desempenho da equipe, já que os adversários já serão conhecidos. “Poderemos passar como cada adversário joga, assim fica mais fácil”.
img

Como está a expectativa para as Olimpíadas de Londres?

Primeiro eu estou feliz em estar de volta, depois da contusão. Foi muito difícil não poder defender a Seleção Brasileira no Pré-Olímpico, mas já passou e eu estou motivado e ansioso. Vamos chegar lá com força total, jogando um bom basquete para tentar conquistar a medalha.

Como você classifica o momento do Brasil, que volta a levar um time masculino para os Jogos Olímpicos após 16 anos?

Acho que é um momento especial que o basquete brasileiro esta vivendo. Não só o basquete, mas o país também. O momento agora é bom, especial.

A Seleção Brasileira vai para Londres com um grupo mais experiente, com rodagem internacional. Até que ponto isto pode ajudar?

Os jogadores ainda são jovens, mas têm experiência. Isto é muito importante. É muito bom ter atletas que jogam na NBA e na Europa, por exemplo. Isto ajuda a quebrar o gelo, já que vão ter vários jogadores da NBA e podemos ter noção de como eles jogam.
img

Um dos pontos fortes do Brasil é o garrafão. Você acredita que isto possa fazer a diferença para a seleção?

Temos um garrafão forte. A gente sabe do nosso potencial, mas temos que respeitar todos os adversários.

Qual a sua análise sobre os jogadores que foram chamados para treinar com a seleção?

o Ricardo Fischer (São José) é um jogador que eu conheci e que me chamou atenção. Ele foi bem nos jogos do Novo Basquete Brasil. Ele tem muita personalidade, é tranqüilo e não se sentiu intimidado apesar da pouca idade. Já o Ronald (Brasília) jogou muito bem durante o campeonato. O Lucas (Franca) e o Matheus (Vila Velha) também têm bastante qualidade.

Como você avalia os amistosos que o Brasil irá disputar até Londres?

Acho que essa fase de preparação é muito boa. O mais importante é a gente tirar o máximo de proveito desses jogos, tentando melhorar nosso jogo coletivo. O resultado é consequência. A gente tem que se preparar bem pra chegar na Olimpíada jogando um basquete redondo.
img

Faz diferença contar com um técnico experiente como o Rubén Magnano?

O Magnano é um técnico que participou de Olimpíada, é campeão olímpico, vai ser importantíssimo para esse grupo ter um treinador como ele. O Magnano tem um controle muito grande sobre a Seleção Brasileira e nós seguimos os passos dele.

Você tem alguma mensagem para o torcedor brasileiro?

Gostaria de dizer que todos estão comprometidos e motivados com a seleção. Estamos ansiosos para chegar lá e fazer uma boa Olimpíada. Queremos orgulhar cada vez mais os brasileiros.