Imprensa

23/04/2001 - Vanderlei Mazzuchini Jr.

img
“Um jogador que pensa nas necessidades de sua equipe”. Assim se define o ala Vanderlei Mazzuchini, do Bauru/Tilibra/Copimax. Para esse paulista de 28 anos, a maior virtude de um atleta é estar sempre disposto a apoiar o grupo e não em brilhar sozinho. E é isso que ele vem fazendo no Nacional Masculino deste ano, ajudando o Bauru a superar as dificuldades, especialmente as constantes contusões que desfalcaram a equipe no início do campeonato. Maior cestinha do clube na competição, até a oitava rodada do returno, com a média de 22.0 e 505 pontos no total, Vanderlei acredita na superação do grupo e na conquista da vaga para os playoffs.

Como e quando você começou a jogar basquete?

Comecei com onze anos no Sport Sírio (SP). Minha mãe queria que eu praticasse um esporte e optamos pelo basquete. Eu não sonhava ser um jogador, mas fui praticando e fui gostando cada vez mais. Quando chegou a hora de decidir entre cursar a faculdade de Engenharia ou jogar basquete, resolvi me dedicar completamente ao esporte.
img

Qual foi o melhor e o pior momento da sua carreira?

O melhor momento foi no COC, em Ribeirão Preto. Era um time muito bom, foi uma pena não ter sido campeão nacional em 98. Minha participação na seleção brasileira também é um dos meus melhores momentos. Conquistei títulos importantes, como o de campeão sul-americano e a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 99. O pior momento foi no Flamengo. Eu sofri várias lesões, uma atrás da outra, e acabei ficando uma temporada sem jogar, me recuperando.

Como você define o jogador Vanderlei?

Tenho vários defeitos jogando individualmente, mas ajudo o time a render em quadra. Sou um jogador que pensa nas necessidades da equipe.

Qual sua análise do Nacional 2001 e quem são os favoritos?

Esse é o Nacional mais equilibrado que eu já participei. São pelo menos nove ou dez equipes com potencial para conquistar o título. Eu considero como favoritos o Vasco e o Flamengo, pela qualidade dos times, e Franca, pela tradição.
img

Como está o Bauru na competição?

O Bauru está bem no campeonato. Não é tão forte quanto os times favoritos, mas tem chance de ser campeão. Ainda temos mais três jogos em casa e vamos buscar a vitória em todos eles.

E os melhores jogadores do Nacional até agora?

O Valtinho, de Franca, é um bom jogador. Mas acho mesmo que o melhor jogador é aquele que ajuda o time a ser campeão. Não adianta ser muito bom e o time não ganhar.
img

Quais são as chances da seleção brasileira no Sul-Americano e na Copa América?

Temos que fazer um trabalho de preparação forte para que a seleção faça uma boa campanha esse ano no Sul-Americano e na Copa América e no Mundial de 2002. A partir daí, vamos poder brigar por uma vaga nas Olimpíadas de Atenas (2004).

Que mensagem você daria para quem está iniciando no basquete?

Para começar não tem que pensar em ser um jogador famoso. Tem que pensar em praticar o esporte. Quem quer seguir carreira, tem que ter dedicação acima de tudo, acima até do talento. Mas, o esporte, seja ele qual for, é muito importante para o desenvolvimento do corpo e da mente.