Imprensa

25/03/2008 - Facundo Luís Sucatzky

img
Facundo Luís Sucatzky é considerado um dos melhores armadores que atuam no Brasil. Nascido na cidade de Ceres, na província de Santa Fé, na Argentina, Facundo vive em Belo Horizonte há três anos com a família e já se sente em casa. Defendendo o Pitágoras/Minas Tênis desde que chegou ao Brasil, o armador vem se destacando no Nacional desde que estreou na competição em 2006. Nesse ano, foi o líder nas assistências com médias de 8.3 (141 no total), 9.0 (279) em 2007 e 10.9 (163) até a décima segunda semana da fase de classificação do Nacional 2008. O Minas está em segundo lugar na tabela com 75% de aproveitamento em 16 partidas (12 vitórias e quatro derrotas).
img

Como você analisa a campanha do Minas no Campeonato Nacional?

O time está jogando bem. Ocupamos o segundo lugar da competição e temos todas as chances de chegar na final. Vamos enfrentar alguns adversários difíceis ainda nesta primeira fase, mas o Minas tem obrigação de vencer, pois queremos manter o segundo lugar, já que o Flamengo deve ficar em primeiro. A boa colocação nos dá vantagem de jogar em casa nos playoffs. Acho que Flamengo, Universo/DF e Minas têm grandes chances de conquistar o título.

Quais os pontos fortes do time?

O time tem bastante tranqüilidade em momentos decisivos da partida e isso é uma característica importante numa equipe. No geral, o Minas vem fazendo uma boa campanha no Nacional. Melhoramos a parte defensiva, que não começou muito bem, mas já nos acertamos.
img

Por que escolheu trabalhar no Brasil?

O técnico Flávio Davis me viu jogando pelo Atenas de Córdoba numa das edições da Liga Sul-Americana. Gostou do meu trabalho, procurou meu agente e fechamos a minha vinda para o Brasil. O nível do basquete brasileiro é muito bom e foi uma boa oportunidade de viver num país diferente, com outra cultura e costumes.

E você gosta de morar em Belo Horizonte?

Estou há três anos aqui e gosto de viver na cidade. Fui muito bem recebido pelos brasileiros. Eu e minha família somos muito felizes no Brasil.

Não sente falta da Argentina?

Nas últimas férias, fiquei dois meses na Argentina com minha mãe, meu irmão, meus amigos. Não sinto muita falta, porque na verdade não tem diferença no estilo de vida. Além disso, minha mulher e filho moram aqui comigo, fiz novas amizades. E quando trabalhamos com o que gostamos, tudo fica muito mais fácil.
img

Você é considerado um dos melhores armadores do Nacional. Quais são seus os pontos fortes?

Eu tenho uma visão de jogo muito boa, aproveito bem meus companheiros. Gosto muito de ganhar. Procuro dar o meu melhor em quadra, sempre quero jogar bem. Para isso, eu treino muito. O sucesso está em treinar e treinar. Sou muito dedicado e isso é fundamental para alcançar os objetivos.

Algum momento marcou a sua carreira?

Um jogador passa por momentos distintos durante a sua carreira esportiva. São vários jogos, campeonatos. Não dá para destacar apenas um. Todos são importantes. Tudo o que passamos na vida é fundamental para o nosso crescimento profissional e pessoal.