Imprensa

27/02/2004 - Fúlvio Chiantia de Assis

img
O armador Fúlvio Chiantia de Assis, de 21 anos, é um dos destaques do Corinthians/UMC, no 15º Campeonato Nacional Masculino. Até a quarta semana de competição, Fúlvio era o cestinha da equipe, com a média de 19.4 pontos (175 no total) e 4.3 assistência por partida. Depois de conquistar o vice-campeonato Paulista em 2003, Fúlvio ajuda seu clube a buscar uma vaga para os playoffs.

Como e quando você começou a jogar basquete?

Comecei no Nosso Clube, de Limeira, com 12 anos de idade. Além do basquete, eu praticava futebol e judô. Me dediquei mais ao basquete por influência do meu irmão mais velho. Hoje, ele não joga mais e eu continuei no esporte.
img

Fale um pouco sobre a sua carreira.

Com 17 anos, fui jogar no Paulistano e depois no Uberlândia, por onde joguei o meu primeiro Campeonato Nacional. No anos seguintes atuei no Casa Branca e no Franca. Cheguei ao Corinthians em 2003, joguei o Nacional e fui vice-campeão paulista.

Como você analisa a campanha do Corinthians no Nacional?

Ainda não conseguimos mostrar toda a nossa força. Temos um ótimo elenco, mas sofremos um pouco com o desgaste e as contusões. Perdemos jogos por placares apertados, devido a pequenos detalhes. Acredito que a equipe vai crescer muito ainda na competição. O Demétrius e o Marquinhos vão se entrosar ainda mais e a volta do Dedé vai dar novo ânimo ao grupo.
img

E o seu desempenho na equipe?

Acho que amadureci bastante e estou ganhando experiência a cada temporada. Com isso estou assumindo mais a responsabilidade em quadra. A entrada do Demétrius me deu mais liberdade para os arremessos, o que me torna mais útil no ataque.

Como é o armador Fúlvio?

Acho que tenho uma boa leitura de jogo e sou um bom arremessador. Preciso é ficar um pouco mais forte fisicamente, para suportar melhor a marcação adversária. Quando comecei a jogar basquete, eu adorava ver o Isiah Thomas, querendo um dia ter a velocidade dele.
img

Quais os seus planos para o futuro?

Tenho o sonho de jogar na Europa, pois seria uma excelente experiência para minha carreira. Já dei entrada no pedido de cidadania européia, pois sou descendente de italianos. Agora é esperar para ver.

Deixe uma mensagem para os iniciantes no basquete.

Nunca deixe de acreditar nos seus sonhos.